Áudio O Poder das Afirmações Positivas

quarta-feira, 22 de abril de 2015

CROMOTERAPIA: O LUMINOSO UNIVERSO DAS CORES


 A postagem que estou fazendo hoje fala sobre a cromoterapia “o luminoso universo das cores”. Você acredita que a luz emanada por uma lâmpada colorida pode influenciar positivamente na cura de uma enfermidade? Creio que muitas pessoas podem até duvidar disso, mas tenho certeza que todas gostariam que fosse verdade. Então, porque você não testa?

Vou te contar a minha experiência pessoal com a cromoterapia. Certo dia, quando retornava da universidade, a minha moto derrapou numa poça de óleo derramada no asfalto, me desequilibrei e cai para o lado batendo o braço no chão. Levantei-me em seguida e continuei o meu caminho de volta para casa, algumas horas depois o meu braço inchou e comecei a senti muita dor. 


De imediato fui ao hospital e bati um Raio X. O médico que me atendeu disse que o meu osso tinha fraturado e por este motivo teria que colocar um gesso para imobilizá-lo. Saí do hospital com o meu pai dirigindo o carro para mim e preocupado com todas as coisas que tinha para fazer e que agora teria que adiar.


Quando cheguei em casa, recordei da leitura de um livro que tinha feito chamado “Manual das Energias Curativas”, onde ensinava como utilizar a cromoterapia “terapia das cores” para acelerar a cura de uma fratura com a aplicação da luz verde. Então, todos os dias, antes de dormir eu praticava a meditação me concentrando no fluxo da minha respiração e acendia uma luz verde direto no meu braço enfermo. Esses exercícios me deixava tão relaxado que logo em seguida adormecia e acordava na mesma posição que deitei com o corpo virado para cima. Eu tinha a sensação que assim que fechava os olhos depois de alguns minutos eu abria e já era um novo dia, acordava com bastante disposição.


Passado um mês do ocorrido, voltei ao médico para retirar o gesso, estava contando os dias para esse momento chegar, pois já não aguentava mais viver com aquele peso no braço e todas as restrições de quem fica imobilizado. Entrei no consultório e o médico depois de me examinar disse que eu iria retirar o gesso apenas para bater um novo Raio X, mas que colocaria um novo porque não tinha dado tempo do osso colar. Essa notícia caiu como um balde de água fria em mim.


Triste, porém conformado, fiz os dois procedimentos e voltei em sua sala. Assim que entrei pela porta notei o médico surpreso olhando fixamente o resultado do meu Raio X. Então, ele me disse:  você não precisa mais colocar um novo gesso porque o seu osso já está totalmente colado. E complementou a informação dizendo que isso não era normal acontecer em tão pouco tempo, mais que o exame estava mostrando claramente o resultado positivo.


Eu atribuo à rapidez da minha melhora a utilização da cromoterapia. Hoje ela é uma ciência reconhecida aplicada inclusive nos Centros de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde espalhados pelo Brasil financiado pelo SUS. 


A seguir eu reuni informações importantes sobre a cromoterapia para você que quer testar os seus efeitos na saúde assim como eu fiz.

Um grande abraço, Luciano Medeiros.

Autor do site Mentalização.






PESQUISAS CIENTÍFICAS QUE EMBASAM A CROMOTERAPIA

A cromoterapia pode ser definida como o uso das cores visando o tratamento de distúrbios orgânicos e emocionais. O entendimento de que existe uma relação entre as cores (luz) e a vida é antiga. Essa prática foi utilizada pelos povos do antigo Egito, nos templos de Heliópolis, na China e na Índia. Grandes nomes da história fizeram uso da cromoterapia e pesquisaram seus efeitos, como o Médico e botânico Paracelso, que desenvolveu métodos terapêuticos de uso da cor. No século XVIII, Isaac Newton, foi o primeiro a explicar cientificamente o processo das cores e a sua decomposição em comprimento de ondas diferenciada.

Experimentos científicos realizados no passado já comprovaram a influencia das cores no bem estar físico e emocional do ser humano. Em 1810 Goethe estudou os efeitos das cores sobre a psique humana, a sua obra foi batizada como o “estudo sobre a teoria das cores”. Em 1903, o professor Nilo Finsen, recebeu o prêmio Nobel da Medicina pelos seus trabalhos sobre os efeitos da luz e cores, seus experimentos comprovaram que as cores são forças autônomas e não podem ser confundidas com forças sugestivas. Quando bem utilizadas às cores pode contribuir para a melhoria da saúde, bem-estar e alegria de viver. Em 1993 o cientista indiano D. P. Ghadiali editou uma obra sobre a cromoterapia, explicando cientificamente os efeitos positivos das diferentes cores no organismo.


Na atualidade a cromoterapia tem sido cada vez mais aceita e aplicada por muitos profissionais da área de saúde como prática integrativa devido aos seus efeitos benéficos acrescentados ao tratamento convencional. Uma nova medicina tem surgido nos últimos anos, valorizando tudo o que é científico, moderno e tecnológico mais também os aspectos biopsicossocial, espiritual e ecológico do ser humano. Esta terapia vista como holística se baseia no fato que o âmbito físico, mental e emocional estão inter-relacionados e são responsáveis pela saúde ou doença. As cores são forças solares sutis, que carregam em si energias que ativam e harmonizam as forças curativas do organismo. A sua irradiação é absorvida pelo corpo, mente e alma, estimulando a auto cura.


Já se sabe que as cores contem tanta energia que pode influenciar o ritmo respiratório e a pressão sanguínea de alguém. A cromoterapia é a ciência moderna que estuda essa relação. Você pode utilizar as energias terapêuticas das cores de várias formas, começando pela sua casa. Para dormir melhor você poderia utilizar o verde-suave para seu quarto. A cor vibrante e alegre do vermelho é melhor para lugares onde haja movimento. O amarelo que inspira a luz do sol seria perfeito para um quarto de estudo ou trabalho.

COMO UTILIZAR A CROMOTERAPIA



Para começar a utilizar a cromoterapia o primeiro passo é escolher a cor que deseja trabalhar. Consulte os quadros 01 e 02 abaixo para saber o tempo e a ação curativa de cada cor. Depois pegue uma lâmpada colorida ou uma folha de papel transparente que receba a projeção de uma lâmpada. Tire os sapatos e meias e sente-se no chão com as pernas estendidas, coloque a lâmpada a uns 50 cm de distância dos pés e dirija o raio de luz para o centro da planta de um dos pés. É por esse ponto que a energia colorida entra no corpo. Depois siga o mesmo procedimento para o outro pé. O quadro a seguir mostra o tempo necessário para cada cor produzir efeito curativo no organismo:

Quadro 01: Efeito curativo das cores vermelho, laranja, amarelo e verde.
Vermelho
7 minutos
Laranja
10 minutos
Amarelo
12 minutos
Verde
15 minutos
Energiza, melhora a circulação, aumenta a pressão sanguínea. Use-a para ciática. Não a use se for hipertenso.
Ajuda a digestão e melhora o metabolismo. Boa para reumatismo, cãibras, espasmos e asma.
Estimula o sistema nervoso, o fígado, o pâncreas e os rins. Use-a para tratar constipação  e artrite.
Produz equilíbrio físico e mental e é excelente para o estresse. Use conforme orientações para não estimular demasiadamente o coração.
Fonte: Adaptado de Soskin (2002).

Quadro 01: Efeito curativo das cores turquesa, azul e violeta.
Turquesa
15 minutos
Azul
15 minutos
Violeta
15 minutos
Refrescante e repousante fortalece os sistemas nervoso e imunológico. Abranda inflamações e eczemas.
Excelente cor curativa para todas as situações. Reduz a pressão sanguínea e promove o crescimento saudável de células e tecidos.
Melhora a estabilidade mental, ajuda a purificar o corpo e eleva a autoestima. Excelente também no tratamento de choques.
Fonte: Adaptado de Soskin (2002).

 A cromoterapia tem o poder de expandir a consciência agindo em nível emocional de forma a acalmar e estimular. As energias curativas das cores podem ser assimiladas pelo corpo de várias formas. Podem-se irradiar as cores pelas roupas que usamos, alimentos que ingerimos e pela respiração durante a meditação imaginando suas tonalidades. Outra forma de utilização é colocando um copo de água mineral cerca de 20 minutos sob a Lâmpada da cor que estamos precisando e depois ingerir a água. Também é recomendada a utilização de óculos coloridos, olhar durante 15 minutos através deles é o suficiente para conseguir um efeito de cura.




INDICAÇÃO E CONTRAINDICAÇÃO DO USO
DAS SETE CORES DO ARCO-ÍRIS


Quadro 03 – Indicação e contraindicação do uso das sete cores do arco-íris.
CORES
INDICAÇÃO
CONTRAINDICAÇÃO
Vermelho
Esta cor também é eficaz nas inflamações, doenças de pele, pressão baixa, tosse crônica, asma, doenças na laringe, mas também nas inflamações da bexiga, perturbações gástricas, impotência e frigidez.
Não deve ser usado em casos de perturbações nervosas, pressão alta, crises de febre ou inchações.
Laranja
Tem ação sobre a vitalidade física e sexual, confere otimismo, calor humano, fortalece a corrente linfática e ajuda o corpo a fixar o cálcio. É também significativo o efeito anti-espasmódico em convulsões ou tensões, causadas por stress. A cor laranja age sobre a fraqueza renal, prisão de ventre, glândulas, fortalece o tecido pulmonar. O cansaço ao levantar pode ser melhorado com uma rápida aplicação de raios laranja.
Não deve ser usado em caso de nervosismo, ansiedade ou em excesso de energia.
Amarelo
Estimula o sistema nervoso central, as funções digestivas, ajuda o metabolismo do fígado (este geralmente é responsável pela celulite e acne), fortalece o tônus muscular, o estômago e estimula a linfa. Fortalece o sistema glandular, transforma os males crônicos em agudos e é indicado em doenças do fígado, bexiga, rins e estômago. Ademais, tem ação terapêutica em alergias a alimentos, flatulência, carência de açúcar no sangue, cálculos renais, espasmos e dificuldades respiratórias.
Não deve ser usado em pessoas nervosas e agitadas.
Verde
O verde tem sido eficaz cm problemas de nervos, gota, catarro brônquico e coqueluche. É bom para a formação óssea, fortalece e regenera a pele e é eficaz contra seborréia e acne. O verde ameniza dores cardíacas, pressão alta, cansaço e fadiga. Também
é usado em casos de tumores, abcessos, cistos e doenças dos olhos. Perturbações do sono também são beneficiados com a cor verde.
Não há contraindicações no uso da cor verde.
Azul
Todas as doenças "febris" exigem luz azul. Atua em processos purulentos, em dores, em hemorragias e insônia (colocar um abajur com luz azul no criado-mudo). Age sobre os testículos e ovários e é indicado nos casos de impotência e frigidez. É a cor do climatério. Com a luz azul também se trata hipertireoidismo, dor de garganta, febre, hipertensão, inflamações, queimaduras, infecções dermatológicas, eczemas, úlceras, gastrite, cólicas, dores nas costas, hemorróidas, otites, gengivites. Influencia favoravelmente as supra-renais e tem efeito constritivo.
Não é recomendado em distensões musculares, paralisia, má circulação. A aplicação da luz azul não deve durar mais do que trinta minutos, pois pode provocar cansaço.
Índigo
Doenças dos olhos, ouvidos e nariz são beneficiadas com as vibrações desta cor. Também tem influência positiva em diarreias e problemas intestinais, todos os tipos de dores e fadiga mental.
Não é recomendado em casos de esquizofrenia, medo de contatos corporais ou fortes inibições.
Violeta
Depressão, enxaquecas, queda de cabelo e caspa. Tem efeito benéfico sobre o pâncreas e estimula as glândulas linfáticas. Esta cor tem ação calmante sobre o coração, amenizando sensações de medo e estados de irritação.
Não é recomendado para pessoas pouco desenvolvidas, imaturas ou violentas. Isto vale para o nível físico, assim como para o nível espiritual.
Fonte: Adaptado de Waltraud (1997).

Texto: Luciano Medeiros (Autor do Site Mentalização)
Publicado originalmente em: http://www.mentalizacao.com.br/2015/04/cromoterapia-o-luminoso-universo-das.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário