terça-feira, 8 de julho de 2014

A EDITORA AGIR LANÇA NO BRASIL O MAIS NOVO LIVRO DE DEEPAK CHOPRA “DEUS - UMA HISTÓRIA DE REVELAÇÃO”.


No livro Deus – Uma História de Revelação, lançamento da Editora Agir, o médico  e pensador indiano Deepak Chopra analisa a evolução de Deus através da experiência de dez personalidades históricas, entre filósofos, poetas, místicos e mártires.

Deepak traça um retrato de um Deus em constante transformação, mostrando como nossas crenças também se transformaram ao longo dos séculos. 

“Pensei essa obra como uma meditação sobre Deus em nós a partir da experiência de pessoas que foram, de alguma forma, tocadas pelo divino.  As mensagens não são as mesmas mas há um padrão. Deus evoluiu? O que evoluiu, na verdade, foi o entendimento humano.  Quando a consciência evolui, também Deus evolui. Essa jornada nunca termina”, diz

Conhecido como um dos principais mestres da filosofia oriental no Ocidente, Deepak escreveu mais de 60 livros, incluindo Maomé: uma biografia do último profeta (Editora Agir), e possui mais de 20 títulos na lista dos mais vendidos do New York Times.

 Em seu novo livro ele faz um perfil fascinante de Deus e mostra como o divino é experimentado em diferentes religiões, como o cristianismo, o judaísmo, o hinduísmo e o islamismo. Cada capítulo conta a história do encontro de um personagem com a voz de Deus. Num esforço para entender melhor Deus e trazê-lo para mais perto de nós, o autor dá sua visão das mensagens recebidas por cada personalidade. Uma reflexão sobre o mistério da existência, a real natureza de Deus, o poder da fé e a busca pela consciência e o autoconhecimento. 

“A busca de Deus é uma busca interior. Se parece que há contradições nas mensagens sagradas recebidas pelas personalidades retratadas no livro, elas são, na verdade, fruto de nossas próprias limitações”, afirma.

Em suas palestras mundo afora Deepak Chopra costuma dizer que hoje a ciência é a “religião” que o homem usa para tentar entender a natureza e os mistérios da existência. Ao seguir os passos desses visionários, ele nos mostra que a sociedade moderna tem sido privada das revelações divinas, que dependem não de provas consistentes, mas de um caminho espiritual que resulta na conexão com Deus. Antes de nós, muitos ouviram a voz divina. Este livro prova que, sim, é possível ouvi-la ainda hoje. “Com o colapso da fé como herança comum, cada um de nós precisa empreender a busca interior de sua escolha”, resume.

Cada capítulo, um personagem:
1 – Jó, personagem do Antigo Testamento
2 - Sócrates (69 a.C.-399 a.C), filósofo
3 -  Apóstolo Paulo ou São Paulo (4 aC - 64 dC);
4 - Shankara (700-750), metafísico e monge indiano
5 - Rumi (1207-1273), poeta, jurista e teólogo sufi
6 - Juliana de Norwich (1342-1416), beata beneditina
7 - Giordano Bruno (1548-1600), teólogo, filósofo, escritor e frade dominicano
8 - Anne Hutchinson (1591-1643), pregadora inglesa, dissidente religiosa puritana, que viveu na era colonial inglesa da América do Norte
9 - Baal Shem Tov (1700-1760), rabino místico polonês, fundador do hassidismo
10 - Rabindraath Tagore  (1861-194), poeta, romancista, dramaturgo e música bengali, primeiro não europeu a ganhar o prêmio Nobel de Literatura em 1910


Sobre o autor:

Especialista em clínica geral e endocrinologia, Deepak Chopra é membro da American Association of Clinical Endocrinologists, professor adjunto de Programas Executivos do Kellogg School of Management da Universidade Northwester e ilustre acadêmico da Columbia Business School, da Universidade de Columbia.

Palestrante do evento anual Update in Internal Medicine, patrocinado pela Harvard Medical School e pela Beth Israel Deaconess Medical Center, é um fenômeno em todos os campos em que atua. Autor Best-Seller, Chopra tem mais de 20 milhões de livros vendidos em todo o mundo, são traduzidos em mais de 80 idiomas.

Fundador do The Chopra Center for Wellbeing em Carlsbad, na Califórnia, foi eleito uma das 100 personalidades mais influentes do século pelo Time Magazine. Deepak, que foi amigo pessoal de Michael Jackson, coleciona uma legião de fãs ilustres, como Lady Gaga, Gwyneth Paltrow, Madonna e Demi Moore, entre outras celebridades.


domingo, 16 de fevereiro de 2014

MICHAEL NEILL COACH E ESCRITOR AMERICANO LANÇA NO BRASIL SEU LIVRO BEST SELLER “A REVOLUÇÃO DO PENSAMENTO”.



O escritor americano Michel Neill acaba de lançar no Brasil pela Editora Agir o livro A Revolução do Pensamento – A única coisa que você precisa saber para mudar sua vida (Inside Out Revolution, título original em inglês).

No livro Neill explora e aprofunda os ensinamentos deixados pelo escritor e guru escocês Sidney Banks (1931 – 2009) que, muitos acreditam, ajudou a transformar a psicologia tradicional.

Segundo Banks, nossas experiências podem ser entendidas por meio de três princípios básicos: Mente, Consciência e Pensamento. Ou seja, tudo o que experimentamos está ligado a estes fatores: estamos vivos, somos conscientes e pensamos.

“A mente é a inteligência de todas as coisas”.

“A consciência o torna sabedor”.

“E o pensamento é como o leme de um barco. Ele o guia ao longo da vida e, se você aprender a usá-lo, poderá guiar seu próprio caminho de um modo bem melhor”.

Segundo Neill em algum ponto do caminho aprendemos a viver uma segunda vida em nossa cabeça. Quando percebemos que cada sentimento é apenas a sombra de um pensamento, paramos de nos assustar com eles e apenas os sentimos. Entendemos que a única coisa que temos a perder é a ilusão de que algo fora de nós pode nos fazer felizes, sãos e salvos.

O escritor propõe em seu livro uma nova maneira de pensar que já ajudou a transformar a vida de muitas pessoas. Através do que chama de “elevador da consciência”  ele nos convida a observar como o mundo muda quando o olhamos de diferentes ângulos.

O térreo seria a realidade objetiva, onde tudo o que vemos é tomado como verdade: nosso chefe é um saco, ninguém liga pra nós e a vida é bem mais fácil para os outros.  Seguindo este tipo de pensamento só conseguiremos mudar nossa vida se mudarmos as pessoas e o mundo.

Nos andares intermediários estaria a realidade subjetiva, quando percebemos que nossos pensamentos são interpretações da realidade.  “Nesse nível de compreensão, os acontecimentos até nos influenciam, mas seu impacto pode ser enfraquecido se mudarmos nossos pensamentos”.

Nos últimos andares, percebemos que a realidade é construída. Ou seja: “o mundo é aquilo que eu penso que ele é”.

Em resumo nós não vivenciamos o mundo e sim nosso pensamento sobre o mundo. Segundo o autor, é isso que devemos mudar.  “As pessoas pensam que a experiência chega até elas vinda de fora para dentro, mas na verdade vem de dentro para fora. Quando desistimos de tentar controlar nossa experiência, percebemos que estamos nos movendo sem esforço para níveis mais elevados de consciência”, afirma.

Sobre o autor

Michael Neill é pós-graduado em Letras pela Universidade de Cambridge e trabalha como professor de Inglês na Universidade de Auckland na Nova Zelândia. Atualmente, se divide profissionalmente entre a carreira de professor universitário, treinador internacional de coaches, além de escritor best-seller de inúmeros livros. Ele também apresenta um programa de rádio semanal nos Estados Unidos na HayHouseRadio.com fundação da prestigiada autora Louise Hay.

Atuou nos últimos 23 anos como coach, conselheiro e amigo de celebridades, presidentes e de pessoas que querem obter mais de si mesmas e de suas vidas. Autor de livros como You Can Have What You Want, Fell Happy Now e Supercoach.  Neil também fundou a Supercoach Academy, uma escola internacional que ensina as pessoas a olhar a vida de dentro para fora.

Os livros de Michael já foram traduzidos para 14 idiomas, e os seus discursos públicos, retiros e seminários têm tocado e transformado vidas nos Estados Unidos e em cinco continentes ao redor do mundo.

Para saber mais sobre o autor acesse o site: http://www.supercoach.com/

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

A HIPNOSE CONDICIONATIVA NA SAÚDE


A HIPNOSE NA SAÚDE

A Hipnose otimiza e maximiza os resultados em qualquer tratamento. Sua ação induz a um relaxamento que, sem a necessidade de transes a níveis profundos, tranquiliza e reeduca o ritmo orgânico, produz saúde e qualidade de vida.

Podemos dizer simplificadamente, que Saúde é o estado de harmonia entre mente, corpo e meio ambiente. O corpo humano, para realizar suas funções e responder aos estímulos vivenciais satisfatoriamente, mantém, naturalmente, um estado permanente de tensão. Contudo, quando essa tensão eleva-se, ocorre o estresse, quando não cuidado pode chegar à depressão, que impede o bom funcionamento do organismo, produzindo doenças, diminuindo a resistência imunológica, gerando desequilíbrio metabólico e acelerando o envelhecimento corpóreo.

HISTÓRICO

Nos achados da Antiguidade, encontra-se textos, com mais de 4.500 anos, que nos relata como os sacerdotes da Mesopotâmia, usavam o Transe - um estado diferenciado da consciência usual - para realizar diagnósticos objetivando curas. Podemos considerar esses registros como sendo os mais antigos documentos a citarem o transe em sua função terapêutica, um hábito comum as diversas culturas naturalistas.

No século XIX, ao pesquisar esse procedimento, o Dr. James Braid denominaria a esta ciência o nome de HIPNOSE. O nome escolhido advêm de Hypnos - deus grego do sono - e foi escolhido pelo Dr. Braid devido a semelhança do estado de transe com o estado de sonolência. Vemos assim, que desde seu surgimento, a Hipnose sempre esteve vinculada à busca da cura e é neste sentido que a ciência médica atual pesquisa não só a extensão que se pode obter com o seu emprego, como também as respostas de como e porque o cérebro processa o estado hipnótico.

O TERMO HIPNOSE

O termo Hipnose abrange qualquer procedimento que venha causar, por meio de sugestões, induções ou condicionamentos, mudanças no estado físico e mental, podendo produzir alterações na percepção, nas sensações, no comportamento, nos sentimentos, nos pensamento e na memória, inclusive desencadeando reações neurológicas, endócrinas e metabólicas.

A HIPNOSE CIENTÍFICA POSSUI TRÊS LINHAS DE ATUAÇÃO TERAPÊUTICA:CLÁSSICA – ERICKSONIANA E CONDICIONATIVA.

Há mais de um século, acreditava-se que para resolver um trauma, havia necessidade de revivenciá-lo, a pessoa deveria passar novamente pelo abalo emocional, tomando consciência da causa do problema. Para chegar até a "causa" do trauma, via hipnose, seria necessário todo um processo de investigação de memória, estas técnicas ficaram mundialmente conhecidas como "hipnose de regressão ou clássica". Na hipnose clássica o paciente fica totalmente exposto ao terapeuta (sofrologia), onde existem possibilidades de aflorar traumas, neste tipo de terapia é necessário que as pessoas falem e relatem situações durante o estado de transe, informações estas necessárias para condução do processo terapêutico, em média apenas 20% das pessoas conseguem atingir este estágio.

Em 1927 o médico americano Milton Erickson revela ao mundo sua descoberta: por meio de metáforas e sugestões é possível tratar além dos traumas, inúmeras outras doenças e problemas comportamentais, ampliando o campo de atuação da hipnose cientifica, com a diminuição do tempo de tratamento, com relação à hipnose clássica, sem necessidade de investigação. Para esse tipo de terapia funcionar é necessário que o paciente/cliente esteja susceptível, em média 50% das pessoas conseguem resultados satisfatórios, esta técnica ficou conhecida como Hipnose Ericksoniana, atualmente todos os Direitos de propriedade intelectual das técnicas de Milton Erickson encontram-se resguardadas. Os cursos de formação nesta linha só podem ser realizados com autorização do Instituto Milton Erickson dos Estados Unidos.

A Hipnose Condicionativa (Registro de Propriedade Intelectual - Direitos Autorais - IGAC-MC: 4396/2006 para 163 países, entre eles o Brasil), descoberta na década de 80 pelo psicoterapeuta brasileiro Luiz Carlos Crozera, natural da cidade de Jaú, interior do Estado de São Paulo, que após anos de pesquisas e aprimoramento consagrou-se como autor das técnicas de CONDICIONAMENTO MENTAL, a mais nova linha da hipnose clínica, onde emprega o bloqueio direto do emocional negativo, sem necessidade de investigar a vida de uma pessoa (rastreando a memória do momento presente até o período de gestação). Esta técnica possibilita tratar todos os tipos de medos, traumas, fobias, síndromes e abalos emocionais; para cada ano de vida são gastos 45 segundos, durante o processo de bloqueio do emocional negativo. Na Hipnose Condicionativa não são trabalhadas sugestões, nem metáforas, comumente usadas nas técnicas da hipnose ericksoniana. Emprega-se mecanismo de condições diretas para a mente humana, na forma de ordem e comandos.

Na HC o paciente fica passivo, não fala com o terapeuta durante a sessão, esta linha da hipnologia também adota mecanismos com gatilhos condicionados aos sentidos de percepção e comportamento, voltados ao meio e ao metabolismo que são implantados na mente do paciente, esta técnica também emprega terapia de energização, projeção/progressão mental, resignificação, ativação do relógio biológico, entre outras. Abrevia o resultado terapêutico em qualquer patologia, elevando a autoestima (fator primordial para imunologia orgânica), equilibra o centro emocional, reduz a ansiedade em situações adversas (fator que desencadeia o estresse, a depressão, hipertensão, insônia, diabete emocional, desestabilização metabólica do organismo, descontrole do centro emocional, lapsos de memória, entro outros).

A Hipnose Condicionativa não é uma junção ou fusão de técnicas, mas sim uma nova linha da hipnologia, projetando a verdadeira “saúde”, indo até a causa dos problemas, onde nenhum componente químico pode entrar – “na mente humana”. Adota-se o método subliminar para levar uma pessoa ao sono terapêutico (estado de transe), onde o sensor crítico (racional) é afastado durante o relaxamento, criando o estado alterado de consciência, a mente passa não analisar, nem criticar as informações que são recebidas mediante a voz do terapeuta, na HC a pessoa não pensa nem imagina nada durante a sessão. Quando uma pessoa, em estado de transe ou sono terapêutico, é levada a pensar e imaginar, não se trata de hipnose (estado alterado de consciência), são técnicas e mecanismos de sugestão apenas, para se conseguir resultados positivos, com sugestões, as pessoas induzidas deverão estar suscetíveis. A HC tem contribuído para melhoria da qualidade de vida, atuando também na saúde preventiva e coadjuvante à medicina convencional, estima-se que 2.000 pessoas são atendidas por dia com as técnicas de Condicionamento Mental.

INDICAÇÕES DA HIPNOSE CONDICIONATIVA

Inúmeras são as indicações, dentre elas podemos citar algumas das mais utilizadas: Ansiedade, depressão e a síndrome do pânico, vários distúrbios e transtornos provocados ou acentuados pelo estresse e um desequilíbrio emocional; nos distúrbios psicossomáticos, onde um fundo emocional pode ocasionar uma gastrite, asma, processos alérgicos, enxaqueca e vaginismo; no apoio ao tratamento do câncer, da AIDS; nos processos dolorosos, principalmente nas dores crônicas; na cardiologia no controle da hipertensão e outras cardiopatias; na ginecologia, na obstetrícia, o parto sem dor com um acompanhamento pré-natal com sessões de hipnose. No preparo de pacientes com indicação cirúrgica, tanto no aspecto emocional como na potencialização da recuperação. Na odontologia como apoio nos tratamentos de pessoas com fobias, traumas; nos problemas relacionados a dores e disfunções da mastigação, bruxismo. Na motivação e aumento da força de vontade; como apoio no alcoolismo, tabagismo e dependências químicas de forma geral. Na ajuda ao controle de peso. Na obesidade, impotência sexual, ausência de orgasmo, ejaculação precoce. Na preparação de estudantes aos vestibulares e concursos, melhora no desempenho geral de atletas, e muitas outras aplicações. Sua utilização vem se expandindo a um número cada vez maior de profissionais e especialidades, onde os avanços nos conhecimentos aumentam a segurança e eficiência de sua aplicação, como forma terapêutica de apoio, dentro de uma filosofia moderna de tratamento multidisciplinar.

DADOS COMPARATIVOS:

Enquanto os métodos convencionais de psicologia demoram de dois a cinco anos para tratar uma pessoa portadora de depressão crônica, as técnicas de Hipnose Clássica gastam em média um ano, na Hipnose Ericksoniana de seis a oito meses e, na Hipnose Condicionativa, seja qual for o estado depressivo, são utilizadas de duas até cinco sessões.

Estima-se que só no segundo semestre de 2012, cerca de 75.000 pessoas foram atendidas mensalmente, com a Hipnose Condicionativa, o Instituto Brasileiro de Hipnologia, única instituição credenciada para ministrar os cursos de Hipnose Condicionativa vem formando hipnólogos desde 2005, atualmente são cerca de 4.000 pessoas atuando com as técnicas, em todo Brasil e também na França, Espanha, Portugal, Suíça, Inglaterra, Itália, Angola, Índia e EUA.

"A mente humana não é física, os registros mentais nela contidos são apenas e simplesmente energia, que combinadas em frequências vibracionais, geram os sentimentos, emoções, pensamentos, atitudes, etc. Culminando em estímulos e ações fisiológicas, metabólicas, de mobilidade e comportamento", Luiz Carlos Crozera.

HIPNOSE CONDICIONATIVA NOS DESPORTES

Em qualquer modalidade esportiva ou atividade física, desde uma simples caminhada, os condicionamentos mentais são fundamentais para disparar e controlar, ao mesmo tempo, uma série de mecanismos que fluem do nível mental. Quando uma pessoa decide passar por sessão de hipnoterapia condicionativa, o terapeuta buscará trabalhar os seguintes pontos: bloqueio do emocional negativo (traumas), força de vontade, timidez, motivação geral, controle da ansiedade, aumento da concentração e atenção, reflexo, força física, superação, desempenho, agilidade, destreza, velocidade, disciplina, autoconfiança e autoestima.

A Hipnose Condicionativa pode ser a maior aliada para o bom desempenho de atletas profissionais, até mesmo dos desportistas amadores, de qualquer idade ou classe social, inclusive deficientes físicos. Cria-se mecanismos para potencializar e maximizar resultados, assim como proporciona melhoras no desempenho físico e mental de qualquer pessoa. De maneira geral, pessoas bem preparadas pela Hipnose Condicionativa, observa-se uma visível melhora de desempenho, ficam muito motivadas aos aperfeiçoamentos, mais participativas e dedicadas nos treinos e competições.

É bastante comum observar que atletas muitíssimo bem preparados, no momento de desempenharem seus papeis, acabam numa grande decepção, isso se deve a elevação dos níveis de ansiedade no momento de uma competição ou prova. A ansiedade é a mola propulsora para inúmeros distúrbios, como:  insônia, indisposição, timidez, estresse, fadiga, cansaço, dores, desvio ou falta de concentração e atenção, medos, inseguranças, etc. que podem interferir diretamente na performance do competidor, impedindo chegar aos seus objetivos. Por outro lado, um dos fatores agravantes é a pressão psicológica que o atleta acaba sofrendo, antes, durante e até mesmo após uma competição, essa pressão pode vir da família, da assistência, do técnico ou treinador, da imprensa, da opinião pública, etc.; esses fatores geram estresse intenso, interferindo diretamente na forma de atuação. Qualquer que seja o caso, a Hipnose Condicionativa ajuda o atleta lidar com as pressões psicológicas nas mais diversas situações, assim como controlar os níveis de ansiedade, em consequência uma maior tranquilidade para que o atleta consiga dar o máximo de sua capacitação, o segredo está no equilíbrio ou estabilização do centro emocional que dará uma resposta fisiológica e psicológica satisfatória para alcançando melhor desempenho.

Na Rússia, antiga União Soviética, existe uma tradição centenária da aplicação da hipnose em atletas, assim como foi utilizada em soldados nas guerras mundiais, os EUA pesquisam e mostram a eficácia da hipnose em atletas, de forma comparativa. No Brasil a aplicação da hipnose no campo esportivo está apenas iniciando, com uma grande vantagem, o Brasil é o berço da mais nova linha científica de hipnose clínica mundial, batizada como Hipnose Condicionativa (1983), sendo a linha Clássica criada no século XVII e a Ericksoniana em 1927. As técnicas de condicionamentos mental, aplicada em hipnoterapia, funcionam como principal instrumento no desenvolvimento e desempenho do potencial humano, atua também como coadjuvante e/ou complementar, torna qualquer tipo de tratamento mais breve e seguro. Nosso organismo e todo comportamento respondem diretamente aos comandos da mente, a partir dos pensamentos e sentimentos, desta forma é possível afirmar, com muita tranquilidade, que um atleta quando passa por sessão de hipnoterapia  condicionativa se sentirá muito melhor preparado e capacitado.

Para mais informações acesse: www.institutohipnologia.com.br

Atendimento de Hipnose Condicionativa em João Pessoa (83) 9992-9900 Luciano Medeiros.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

III SIMPÓSIO DE SAÚDE QUÂNTICA E QUALIDADE DE VIDA




O III Simpósio de Saúde Quântica e Qualidade de Vida acontecerá na cidade de São Paulo - SP, no Centro de Convenções Anhembi, nos dias 13, 14 e 15 de setembro de 2013.

Após o sucesso do I e II Simpósio de Saúde Quântica e Qualidade de Vida que aconteceram em 2009 e 2011 na cidade de Recife, com a presença de 900 e 1500 participantes respectivamente, a cidade de São Paulo sediará a terceira edição desse grande evento que tem como intuito propagar um novo paradigma na saúde capaz de contemplar o ser humano em todas as suas dimensões: material, mental, emocional e espiritual.

De fato, a humanidade vive o seu apogeu de desenvolvimento tecnológico e científico. No entanto, as estatísticas relativas ao crescimento das doenças crônicas são assustadoras para os próximos anos. A humanidade clama com urgência por um novo modelo biomédico que transcenda os aspectos materiais e sintomáticos das doenças e possibilite reconhecer as suas causas para que possamos suprimi-las definitivamente com investimentos menores e com o menor sofrimento.

Cientistas de várias partes do mundo com trabalhos respeitáveis e com reconhecimento internacional estarão em São Paulo em 2013 trazendo as evidências de um novo paradigma científico.

Amit Goswami, Masaru Emoto, Lair Ribeiro, Gabriel Cousens, Raul Marino Jr, Alberto Peribanez, Jonh Veltheim, Irvênia Prada, Laércio Fonseca, Philippe Bobola, Fernando Bignardi, Robert Happé, Uma Krishnamurty, Wallace Liimaa, Romeu Carillo, Francisco Di Biasi, Julian Barnard, Peggy Phoenix Dubro e Adalberto Barreto são nomes confirmados.

O trem da história passará pela cidade de São Paulo, que num certo sentido, irá parar para ver, sentir e contemplar esse acontecimento histórico.

Paralelamente ao Simpósio, estará acontecendo no Anhembi a III EXPOQUANTUM – Feira de Saúde Quântica, Qualidade de Vida e Tecnologias Sustentáveis, que trará as inovações tecnológicas que respaldam os novos conhecimentos científicos.

Para mais informações acesse: http://www.simposiosaudequantica.com.br/pt/


quinta-feira, 20 de junho de 2013

ARNOLD SCHWARZENEGGER RELATA EM VÍDEO COMO UTILIZOU O PODER DA SUA MENTE PARA CONQUISTAR O SUCESSO



Arnold Schwarzenegger contou um pouco da sua trajetória de sucesso em um vídeo onde aborda os três momentos importantes de sua carreira e a sua crença no poder da mente. O início como fisiculturista quando conquistou importantes prêmios nesse esporte, depois como ator de filmes mundialmente consagrado, até se tornar governador do estado da Califórnia nos Estados Unidos.

Logo cedo, quando ainda praticante do fisiculturismo, que é um esporte praticado por aqueles que buscam, por meio da musculação, a melhor forma muscular, ele entendeu que a única forma de se sobressair perante os outros seria utilizando o seu poder mental. Para isso, passou a estabelecer objetivos bem definidos em sua mente, e a praticar constantemente a visualização, até o ponto de acreditar na realização de seus desejos. Ele ensina que “a visualização do que se quer alcançar cria a vontade de todos os dias você trabalhar em prol dos seus objetivos, e de ir além”. “Ela te motiva e faz a diferença para você agir cheio de alegria, ansiando para fazer mais e mais, quebrando todas as barreiras”. Com o suporte dessas práticas mentais ele conseguiu se destacar e conquistar aos 18 anos o título de Mister Universo e vencer o concurso Mr. Olympia um total de sete vezes, tornando-se uma das figuras mais importantes da história do fisiculturismo.


A sua crença do poder da mente parece estar alinhada com os ensinamentos que o autor Joseph Murphy traz em seu livro “O Poder do Subconsciente”, onde afirma que “a maneira habitual de pensar e formar imagens mentais modela, configura e cria seu destino. Assim como o homem pensa em sua mente subconsciente, assim ele é”.

Outro aspecto importante de sua personalidade é que ele não tinha medo do fracasso, pois sabia que no meio do caminho iria falhar, pois “todas as pessoas do mundo um dia experimenta o fracasso”. Para ele a única maneira de alguém descobrir o sucesso é estando disposto a fracassar, “se você tem medo de fracassar, nunca irá crescer”. “As pessoas que mais crescem são as que realmente não se importam de correr esse risco”. O autor Joseph Murphy também compartilha dessa visão em seu livro, para ele “gente desse tipo não vai longe na vida, pois o medo de dar um passo à frente faz com que fiquem onde estão”.



Arnold Schwarzenegger utilizou todo o seu empenho e dedicação aprendido no tempo de atleta para se dedicar a carreira de ator. Sempre utilizando a sua força de vontade e o poder da imaginação que aprendera no esporte. Sua determinação o ajudou a superar a negatividade dos que o cercavam, que constantemente apontavam as suas fragilidades nessa nova profissão e diziam “não, você nunca conseguirá”. Contudo para ele não importava o que os outros diziam, ou no que acreditavam, pois sabia que o princípio de se imaginar um sucesso, iria ajuda-lo a realizar sua visão. Ele rejeitou veementemente as sugestões negativas dos outros, que poderia lhe trazer como resultado o fracasso e sofrimento, através da disciplina e controle mental. Ao final tudo aconteceu de acordo com a sua imaginação, ele ganhou fama internacional, tornando-se um ícone de filmes de ação de Hollywood. E quando entrou para a política conseguiu se eleger governador do estado da Califórnia nos Estados Unidos. Ele se tornou um exemplo de superação.

Sabemos que muitas pessoas vivem fechadas para seu potencial. Mas tudo o que precisam fazer é despertar o poder milagroso que existe em sua mente e aplica-lo em todas as esferas da vida assim como fez Arnold Schwarzenegger. Se começar agora a reconhecer as potencialidades de sua mente mais profunda, elas se materializarão no mundo exterior.

A seguir compartilho o vídeo com vocês.
Luciano Medeiros. Autor do site Mentalização.


segunda-feira, 29 de abril de 2013

O SITE MENTALIZAÇÃO PROMOVE GRUPO DE ESTUDO SOBRE OS PODERES DA MENTE

Vamos iniciar através do site Mentalização um grupo de estudo sobre o Poder da Mente.

O grupo vai funcionar da seguinte forma. Vamos cadastrar os e-mails dos interessados em um grupo de discussão, onde serei o mediador (Tutor).  A cada semana vamos propor exercícios e debater um capítulo do livro escolhido.
Para iniciar vamos estudar o livro “O Poder do Subconsciente” do Autor Joseph Murphy.
A participação é totalmente gratuita. Porém para acompanhar o grupo você precisa ter o livro. Você pode encontrá-lo em qualquer livraria sem dificuldade, ou até conseguir baixa-lo na internet.
 
Vamos iniciar o grupo no dia 04/06/2013. Para fazer a sua inscrição você deve me enviar um e-mail com o título “Grupo de Estudo” junto com o seu nome, cidade e idade até o dia 01/04/2013.
 
Envie para o e-mail:
Fico aguardando seu contato!
 
Um abraço a todos, Luciano Medeiros. (Autor do Site Mentalização).

Inscrições encerradas para novos participantes
 Sobre o Livro O Poder do Subconsciente

 

O Poder do Subconsciente (título original em inglês: The Power of your Subconscious Mind) é um livro de autoria do Dr. Joseph Murphy. O livro, um dos primeiros e mais famosos livros de mentalismo afirma que existe um poder dentro de cada um de nós e este poder é acionado pelo pensamento. Dr. Murphy demostra certa influência em sua obra, com a Psicologia Junguiana, particularmente das ideias de sincronicidade e inconsciente coletivo.
 

Sem duvidas um dos melhores e mais populares livros de autoajuda já escritos, O Poder do Subconsciente ajudou milhões de pessoas a alcançarem grandes objetivos apenas mudando a maneira de pensar. As técnicas revolucionárias descritas pelo Dr. Murphy, baseiam-se em um princípio simples e prático: se você acredita em algo sem restrições e faz um retrato disso em sua mente, remove os obstáculos subconscientes para que seu desejo se concretize. Assim, qualquer um pode transformar em realidade aquilo em que acredita. Com a descrição de histórias verídicas de sucesso, O Poder do Subconsciente é um guia para libertar o poder da mente que revela segredos para melhorar um casamento, vencer medos, eliminar hábitos nocivos, dinheiro e a felicidade pessoal.
 

Murphy defende a tese de que a mente subconsciente, ao aceitar uma ideia, começa imediatamente a pô-la em prática por meios sobrenaturais. Desta forma, para se alcançar o sucesso e o êxito é necessário unicamente se conseguir que a mente subconsciente aceite a ideia de sucesso, êxito, saúde, tranquilidade ou a posição social que se deseja. Contudo, segundo Murphy, a mente subconsciente aceita tudo que lhe é sugestionado de forma vigorosa e constante, mesmo que seja falso, provocando resultados desfavoráveis. Desta forma, ele sugere que as pessoas utilizem a auto-sugestão, principalmente durante os instantes antes de dormir, por meio de preces dirigidas à mente universal de Deus, quando a mente consciente está mais passiva, tornando o subconsciente mais receptivo. Deste modo, a mente consciente não resistiria às ideias que queira se imprimir na mente subconsciente.
 

Fonte:
http://pt.wikipedia.org/wiki/O_Poder_do_Subconsciente



A seguir os temas dos capítulos do livro a ser estudado

Junho/2013
 1. O tesouro que há em você (p. 23 a 35);
 2. Como a mente funciona (p.37 a 54);
 3. O poder milagroso do seu subconsciente (p.57 a 68);
 4. Curas mentais nos tempos antigos (p.69 a 81);
 

Julho/2013
 5. Curas mentais em tempos modernos (p.83 a 93);
 6. Técnicas práticas de cura mental (p.95 a 111);
 7. Subconsciente: tendência voltada para a vida (p.113 a 120);
 8. Como obter os resultados que deseja (p. 123 a 131);
 

Agosto/2013
 9. Como usar o poder do seu subconsciente para adquirir riqueza (p. 133 a 140);
 10. Seu direito de ser rico (p. 143 a 152);
 11. A mente subconsciente como sócia em seu sucesso (p.155 a 168);
 12. Como cientistas usam a mente subconsciente (p.171 a 180);
 

Setembro/2013
 13. O subconsciente e as maravilhas do sono (p.183 a 191);
 14. A mente subconsciente e os problemas matrimoniais (p. 195 a 206);
 15. Mente subconsciente e felicidade (p. 209 a 216);
 16. Mente subconsciente e relações humanas harmoniosas (219 a 231);
 

Outubro/2013
 17. Como usar a mente subconsciente para perdoar (235 a 247);
 18. Como o subconsciente elimina bloqueios mentais (p.249 a 260);
 19. Como usar a mente subconsciente para eliminar o medo (p.263 a 275);
 20. Como permanecer jovem de espírito para sempre (p.279 a 293);



domingo, 10 de março de 2013

PROCRASTINAÇÃO: COMO SE LIVRAR DO MAU HÁBITO DE DEIXAR PARA DEPOIS AQUILO QUE PODE SER FEITO AGORA

 
 
Como reconhecer e neutralizar os sentimentos negativos que nos levam a procrastinação, a tendência de deixar para depois as tarefas importantes, mas desagradáveis ou difíceis.

Procrastinação é o ato de esquivar-se de uma tarefa que necessita ser realizada. É o mau hábito de deixar para amanhã o que pode ser feito hoje. Isto pode nos levar a ter sentimentos de culpa, desajuste, depressão e baixa autoestima. A procrastinação pode ocasionar conseqüências dolorosas, como o insucesso profissional e a frustração nos assuntos e negócios particulares.

Procrastinação não é simplesmente uma forma de preguiça. Ela surge por razões variadas, incluindo:
 ■fuga de experiências negativas
 ■falta de capacitação
 ■medo de comentários e avaliações de terceiros
 ■hostilidade à tarefa ou à pessoa que a solicitou.
 ■pessimismo
 ■depressão
 ■perfeccionismo
 ■passividade
 ■necessidade de aceitação
 ■baixa tolerância às frustrações
 ■sentimento de injustiça
 ■sobrecarga

Sinais de alerta

A tendência de deixar para depois as tarefas mais difíceis e desagradáveis está sempre presente e o combate à procrastinação exige um alerta constante. Os verdadeiros procrastinadores apresentam cinco comportamentos reveladores:

 1.Sobreestimam o tempo necessário para realizar alguma coisa.
 2.Superestimam o tempo disponível para realizar alguma coisa.
 3.Superestimam o quanto estarão motivados para realizar alguma coisa mais tarde.
 4.Acreditam erradamente que não é recomendável trabalhar numa tarefa quando não estão muito bem dispostos a fazê-la.
 5.Acreditam erradamente que, para ter sucesso numa tarefa, eles têm que desejar fazê-la.

Como combater a procrastinação?

A procrastinação começa com alguma espécie de sentimento negativo que nos desvia das tarefas importantes. Se você puder reconhecer e reformular alguns destes sentimentos de ansiedade e dúvidas, você poderá elaborar um plano para combater a tendência à procrastinação e gerenciar melhor o seu tempo.
 

Problema

Solução


Perfeccionismo e expectativas irreais: Pensar que você não fez o melhor que possivelmente poderia fazer. O trabalho nunca está suficientemente bom para ser entregue.

1.Pare de procurar a perfeição a qualquer custo.
 2.Defina um prazo firme para terminar.
 3.Comece logo e faça o melhor que você conseguir neste prazo.
 4.Examine e corrija mais tarde.

Medo de falhar: Pensar que se não fizer o melhor, você é um fracassado. Ou pensar que, se falhar num teste, você, como pessoa, é um fracasso, ao invés de pensar que você é uma pessoa normal que falhou num teste.

1.Reflita sobre a falha e use-a para aprender. Como posso fazer melhor na próxima vez?
 2.Aplique o que aprendeu na próxima tarefa ou teste.

Achar a tarefa enfadonha: Ficar paralisado pensando nos aborrecimento que terá na execução de uma tarefa tediosa e cansativa.
 
1.Focalize suas prioridades e objetivos.
 2.Concentre-se nos resultados a serem obtidos.
 3.Prometa a si mesmo uma recompensa pela execução da tarefa, alguns momentos de relaxamento.

Medo e ansiedade: Sentir-se esmagado pela complexidade e tamanho da tarefa e com medo de falhar. Como resultado, você gasta muito de seu tempo angustiado com o que tem a fazer, ao invés de agir.

1.Divida a grande tarefa em tarefas menores.
 2.Estabeleça metas específicas e realize uma de cada vez.

Dificuldade de concentração: Sentado à sua mesa, você se vê a sonhar, flutuando no espaço, navegando pela Internet sem propósito, etc., ao invés de se dedicar à sua tarefa.

1.Esforce-se para fazer algo e dar a partida: organize seu local de trabalho; leia ou revise o que já foi feito.
 2.Comprometa-se a trabalhar na tarefa pelo menos 10 minutos.
 3.Comprometa-se com mais 10 minutos e assim por diante, até engrenar.
 

Fraco gerenciamento do tempo: Procrastinação significa que seu tempo não está sendo administrado com inteligência. Você pode estar inseguro quanto às suas prioridades, objetivos e metas. Como resultado, você se dedica a tarefas menos importantes, sem planejamento.
 
1.Defina suas prioridades de acordo com a importância e urgências das tarefas.
 2.Prepare sua lista de coisas a fazer, de acordo com as prioridades definidas.
 3.Siga seu planejamento e não o que seria mais agradável fazer.
 

Problemas pessoais: dificuldades financeiras, conflitos no trabalho, problemas familiares ou amorosos, etc.

Procure um conselheiro, um profissional ou um amigo que possa ouvi-lo e orientá-lo.


Estude e identifique as causas que o estão levando à procrastinação e combata os maus hábitos. Comece já, agora!
 
Por Jairo Siqueira em Criatividade, Produtividade.

domingo, 6 de janeiro de 2013

EXPERIÊNCIA DO PODER DA MENTE SOBRE AS PLANTAS


Os dois recipientes com a mesma quantidade de feijões.

Primeiro passo que realizei, plantei os feijões com a mesma 
quantidade de areia e água.

No segundo dia já dava para notar que o da esquerda que recebia a
mentalização crescia mais rápido.

Depois de 05 dias ficou claro que o que recebeu a mentalização
da palavra cresça se desenvolveu mais do que o outro.

Quero dividir com vocês uma experiência que realizei referente ao poder da mente sobre as plantas, na qual podem repetir em casa.  Essa semana ao navegar no youtube, e me deparei com uma vídeo aula muito interessante sobre “o método DeRose”, que até então desconhecia. Esse método consiste “numa proposta de qualidade de vida, boas maneiras, boas relações humanas, boa cultura, boa alimentação e boa forma” segundo explica seu site.

A mentalização foi um dos termas abordado no vídeo. Ao tratar sobre o assunto o professor propôs a seguinte experiência de mentalização:  plante grãos de feijão em dois recipientes distintos e iguais, em um  deles escreva o nome “cresça” e durante o dia, pela manhã e a noite, repita mentalmente a palavra cresça, o outro recipiente deve ser ignorado, porém eles devem ser tratados da mesma forma, no sentido de receber a mesma quantidade de sol e água. Espera-se como resultado dessa experiência que os os feijões plantados no recipiente que demos o comando mental para crescer ficariam maiores do que o outro, o que demostraria o poder da mente sobre as plantas. Eu fiz essa experiência e realmente aconteceu como ele disse, acompanhe nas  fotos acima a evolução do meu experimento.

Faça a experiência e comente abaixo!

Para saber mais sobre o método DeRose acesse o site: http://www.metododerose.org/

Ou assista ao vídeo que me inspirou fazer a experiência a seguir:

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

QUANTO VALE A SUA INTUIÇÃO?


01.jpg
VENCENDO COM O INSTINTO
Ouvir e agir de acordo com a intuição já deu ótimos resultados
para pessoas das mais diversas áreas





Novos estudos comprovam que o processo intuitivo é muito mais racional do que se imaginava. E que o instinto é uma ótima ferramenta para tomar decisões na vida profissional e pessoal. Saiba como

João Loes

 
É só prestar atenção nas grandes livrarias. Há alguns anos, o tema intuição deixou de frequentar apenas as estantes esotéricas e místicas e migrou para os títulos de psicologia, psiquiatria e neurociência. Dezenas de estudos científicos inundaram os escaninhos das mais prestigiosas universidades do mundo para comprovar que o instinto humano não só existe, como pode ser ensinado e aprimorado. “Há vencedores do prêmio Nobel estudando a intuição”, diz Eugene Sadler-Smith, professor de comportamento organizacional na Escola de Administração da Universidade de Surrey, na Inglaterra. Agora, ela também foi adotada no ambiente de trabalho. Empresas já tratam a intuição como característica desejável em entrevistas de emprego, Exércitos a utilizam para treinar soldados e companhias determinam estratégias de negócio com base nela, um processo mais racional do que se imaginava.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

TÉCNICA DE CURA HAVAIANA HO`OPONOPONO POR JOE VITALE






HO'OPONOPONO
por Joe Vitale

Faz dois anos, escutei falar de um terapeuta no Hawaii que curou um pavilhão completo de pacientes criminais insanos sem sequer ver nenhum deles. O psicólogo estudava a ficha do presidiário e logo olhava dentro de si mesmo para ver como ele tinha criado a enfermidade dessa pessoa. Na medida em que ele melhorava, o paciente melhorava.

A primeira vez que ouvi falar desta história, pensei que era uma lenda urbana. Como podia curar o outro, curando somente a mim mesmo? Como podia, embora fosse um mestre de grande poder de auto cura, curar alguém criminalmente insano? Não tinha nenhum sentido, não era lógico, de modo que descartei esta história.
 Entretanto, escutei-a novamente um ano depois. Ouvi que o terapeuta tinha usado um processo de cura havaiano chamado “hooponopono”. Nunca tinha ouvido falar disso, entretanto não podia tirá-lo de minha mente. Se a história era totalmente certa, eu tinha que saber mais. Meu entendimento era que “total responsabilidade” significava que eu sou responsável pelo que penso e faço. O que estiver mais alem, está fora de minhas mãos. Penso que a maior parte das pessoas pensa igual sobre a responsabilidade. Somos responsáveis pelo que fazemos, não do que os outros fazem – mas isso está errado.
 O terapeuta havaiano, que curou essas pessoas mentalmente doentes, me ensinaria uma nova perspectiva avançada sobre o que é a total responsabilidade. Seu nome é Dr. Ihaleakala Hew Len. Passamos uma hora falando em nossa primeira conversação telefônica. Pedi-lhe que me contasse a história total de seu trabalho como terapeuta.
 Ele explicou que havia trabalhado no Hospital Estatal do Hawai durante quatro anos. O pavilhão onde encerravam os criminosos loucos era perigoso.
 Regra geral os psicólogos desistiam de trabalhar ali em um mês. A maior parte dos membros do pessoal caiam doentes ou simplesmente renunciavam. As pessoas que atravessavam esse pavilhão caminhava com suas costas contra a parede, temerosas de serem atacados por seus pacientes. Não era um lugar agradável para viver, trabalhar ou visitar.

O Dr. Len me disse que nunca viu os pacientes. Assinou um acordo de ter um escritório e revisar suas fichas. Enquanto olhava essas fichas, trabalharia em si mesmo. Enquanto trabalhava em si mesmo, os pacientes começaram a curar-se.

“Depois de alguns poucos meses, foi permitido aos pacientes que deviam estar encarcerados, caminhar livremente” disse-me. “Outros que tinham que estar fortemente medicados começaram a diminuir sua medicação. E aqueles que jamais teriam nenhuma possibilidade de ser liberados, tiveram alta”. Eu estava assombrado. “Não somente isso” continuou, “mas o pessoal começou a ir feliz para o trabalho.”

“A ausência e as mudanças de pessoal desapareceram. Terminamos com mais pessoas do que necessitávamos porque os pacientes eram liberados e todas as pessoas vinham trabalhar. Hoje este pavilhão está fechado.”

Aqui é onde eu tive que fazer a pergunta de milhões de dólares: “O que você esteve fazendo com você mesmo, que ocasionou a mudança dessas pessoas?”

“Eu simplesmente estava curando aquela parte minha que tinha criado aquilo neles”, disse ele. Eu não entendi. E o Dr. Len explicou que, entendia que a total responsabilidade de sua vida implica a tudo o que está em sua vida, simplesmente porque está em sua vida e, por isso, é de sua responsabilidade. Em um sentido literal, todo o mundo é sua criação.

Uau! Isto é duro de engolir. Ser responsável pelo que eu faço ou digo é uma coisa. Ser responsável por outro ou por qualquer outra coisa que faça ou diga na minha vida é muito diferente. Entretanto a verdade é esta: se assumir completa responsabilidade por sua vida, então tudo o que você vê, escuta, saboreia, toca ou experimenta de qualquer forma é sua responsabilidade, porque está em sua vida. Isto significa que a atividade terrorista, o presidente, a economia ou algo que experimenta e você não gosta, está ali para que cure. Isso não existe, por assim dizer, exceto como projeções que saem de seu interior. O problema não está com eles, está em você e para mudá-los, você deve mudar.

Sei que isto é difícil de captar, muito menos de aceitar ou de vivê-lo realmente. Atribuir ao outro a culpa é muito mais fácil do que assumir a total responsabilidade, mas enquanto falava com o Dr. Len comecei a compreender essa cura dele e que, o ho’oponopono significa amar a si mesmo.
 Se deseja melhorar sua vida, deve curar sua vida. Se deseja curar qualquer outro, ainda que seja um criminoso mentalmente doente, faça-o curando a si mesmo.
 Perguntei ao Dr. Len como curava a si mesmo. O que era que ele fazia exatamente, quando olhava as fichas desses pacientes.
 “Eu simplesmente permanecia dizendo “Sinto muito” e “Te amo”, muitas vezes” explicou ele.
 “Só isso?”
 “Só isso.”
“O resultado é que, amar a si mesmo é a melhor forma de melhorar a si mesmo e enquanto você melhora a si mesmo, melhora seu mundo”.

Permita-me dar-lhe um rápido exemplo de como funciona isto: um dia, alguém me envia um e-mail que me desequilibra”. No passado leria trabalhando com meus aspectos emocionais raivosos ou tratando de raciocinar com a pessoa que enviou essa mensagem detestável. Desta vez eu decidi provar o método do Dr. Len. Coloquei-me a pronunciar silenciosamente “sinto muito” e “te amo”. Não dizia nada a ninguém em particular. Simplesmente estava invocando o espírito do amor, dentro, para curar o que estava criando a circunstância externa.

No término de uma hora recebi um email da mesma pessoa. Desculpava-se por sua mensagem prévia. Tenha em conta que eu não realizei nenhuma ação externa para obter essa desculpa. Eu nem sequer respondi sua mensagem. Entretanto, só dizendo “te amo”, de algum modo curei dentro de mim o que estava criando nele.

Mas tarde assisti a uma reunião de ho’oponopono dirigido pelo Dr. Len. Ele tem agora 70 anos de idade, é considerado um xamâ avô e é algo solitário.

Elogiou meu livro “O Fator Atrativo”. Disse-me que enquanto eu melhoro a mim mesmo, a vibração de meu livro aumentará e todos sentirão quando o lerem. Em resumo, à medida que eu melhoro, meus leitores melhorarão.

“E o que aconte-ceria com os livros que já vendi e saíram por mim?” Perguntei.

“Eles não saíram” explicou ele, uma vez mais, soprando minha mente com sua sabedoria mística. “Eles ainda estão dentro de você”. Em resumo, não há fora. Levaria um livro inteiro para explicar esta técnica avançada com a profundidade que ela merece.

“Basta dizer que toda hora que desejar melhorar algo em sua vida, existe somente um lugar onde procurar: dentro de você. Quando olhar, faça isto com amor”.
Ho'oponopono

Fonte: http://www.terraadouradabrasil.com.br/hooponopono.htm

 




sábado, 3 de novembro de 2012

EXPERIÊNCIAS CIENTÍFICAS TENTAM PROVAR A EXISTÊNCIA DA ALMA



O médico americano Stuart Hamerroff e o físico britânico Sir Roger Penrose afirmaram que podem provar cientificamente a existência da alma.

Em entrevista ao Daily Mail, eles explicam a teoria quântica da consciência, que revela que as almas estão contidas dentro de estruturas chamadas de microtúbulos, os quais vivem dentro de nossas células cerebrais.

Segundo a publicação, a ideia se origina da noção de que o cérebro seja um computador biológico, com 100 bilhões de neurônios, que agem como redes de informação. A teoria foi levantada em 1996 e, desde então, os cientistas estudam a possibilidade.

Os dois alegam que as experiências da consciência são resultado dos efeitos da gravidade quântica dentro dos microtúbulos.

Experiência

Em uma EQM (Experiência de Quase-Morte), os microtúbulos perdem seu estado quântico, mas a informação dentro deles não é destruída. É como se "a alma não morresse, voltasse ao universo".

Hameroff explicou a teoria em um documentário narrado por Morgan Freeman, chamado “Through the Wormhole” (Através do Buraco de Minhoca), que foi levado ao ar recentemente pelo Science Channel, nos Estados Unidos.

"Vamos dizer que o coração pare de bater, o sangue pare de fluir, os microtúbulos percam seu estado quântico. A informação quântica dentro dos microtúbulos não é destruída; ela não pode ser destruída; ela simplesmente é distribuída e dissipada pelo universo“, disse o cientista.

Segundo ele, "se o paciente é ressuscitado, esta informação quântica pode voltar para os microtúbulos e o paciente passa por uma EQM".

Fonte: http://noticias.band.uol.com.br/ciencia/noticia/?id=100000547279
VÍDEO: Through the Wormhole (Através do Buraco de Minhoca).



sábado, 19 de novembro de 2011

TÉCNICA DE VISUALIZAÇÃO POR JOSEPY MURPHY

Josephy Murphy autor do livro best seller O Poder do Subconsciente


O caminho mais fácil e óbvio para formular uma idéia é visualizá-la, vê-la com os olhos da mente tão real como se estivesse mesmo acontecendo. Você pode ver com o olho nu apenas o que já existe no mundo exterior; da mesma forma, o que você pode visualizar nos olhos da mente é o que já existe nos reinos invisíveis da sua mente. 

Qualquer imagem que você tenha em sua mente é a substância de coisas esperadas e a evidência de coisas não vistas. O que você forma em sua imaginação é tão real quanto qualquer parte do seu corpo. A idéia e o pensamento são reais e um dia aparecerão em seu mundo objetivo.

Tenho utilizado a técnica da visualização antes de falar em qualquer tribuna. Acalmo as engrenagens da minha mente a fim de poder apresentar à mente subconsciente minhas imagens de pensamento. Depois, faço um quadro do auditório inteiro e dos assentos ocupados por homens e mulheres, cada um deles iluminados e inspirados pela infinita presença curadora que existe dentro de cada um. Vejo-os alegres, radiantes e livres.

Tendo primeiro construído em minha imaginação, calmamente a mantenho lá como um quadro mental, enquanto imagino ouvir homens e mulheres dizendo: "Estou curado"; "Sinto muito bem"; Tive uma cura instantânea" ; "Estou outro". Fico pensando assim por uns 10 minutos, sabendo e sentindo que a mente e o corpo de cada pessoa estão saturados de amor, harmonia, beleza e perfeição. Libero então o quadro, relaxo, e vou para a tribuna.

Joseph Murphy